Oficina de poesia

com Afonso Henriques Neto

A Oficina de Poesia será realizada a partir de dois ângulos bem demarcados: em primeiro lugar, ocorrerá a proposição dos alunos produzirem poemas que serão discutidos nos encontros por todos os participantes, no sentido da incessante busca do aperfeiçoamento técnico do verso. Para apoiar tal intenção, será empreendida a leitura e análise de poemas de poetas clássicos (desde os gregos até a atualidade) em todas as aulas, com as respectivas contextualizações históricas.

Datas: De 12/8 a 25/11/24 (segundas-feiras)
Horário: das 19h às 21h
Valor: 6x R$ 270,00 no cartão de crédito

Carga horária: 32 horas

+

Sobre o curso

Programa:

1. A terra devastada (T. S. Eliot; a importância do conhecimento da história literária) 2. Homero (a tradição épica); Safo (a tradição da poesia lírica-amorosa) 3. Catulo (a poesia latina; “modernidades” e poesia erótica) 4. Propércio (a poesia latina; a consciência política) 5. Os poetas provençais (e Dante) 6. François Villon (as grandes baladas medievais)
7. Camões / Petrarca; Camões / Pessoa; Camões / Drummond
8. Baudelaire
9. Rimbaud
10. Lautréamont
11. Mallarmé
12. Allen Ginsberg (a poesia beat norte-americana)
13 a 16. Portugueses e brasileiros
Cesário Verde / Fernando Pessoa
Romantismo e Simbolismo no Brasil
Cecília Meireles, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes, Jorge de Lima, Ferreira Gullar (“outros modernismos” ou “modernistas clássicos”)

Bibliografia:

Eliot, T.S. Poesia: tradução, introdução e notas de Ivan Junqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

Campos, Augusto de. Mais provençais. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

Alighieri, Dante. A Divina Comédia: tradução, introdução e notas de Cristiano Martins. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1976.

Catulo. O livro de Catulo: tradução, introdução e notas de João Angelo Oliva Neto. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

Propércio, Sexto. Elegias de Sexto Propércio: organização, tradução, introdução e notas de Guilherme Gontijo Flores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

Villon, François. Poesia: tradução, organização e notas de Sebastião Uchoa Leite. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

Professor(a)

Afonso Henriques Neto

Nasceu em Belo Horizonte, MG. Graduou-se em Direito pela Universidade de Brasília. Em 1972 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde mora até hoje. Publicou em edição independente o primeiro livro de poesia, O misterioso ladrão de Tenerife, em coautoria com o poeta Eudoro Augusto, no ano de 1972, ainda em Brasília. O segundo livro, Restos & estrelas & fraturas, saiu em 1975 no Rio de Janeiro. Em 1976 participou da antologia 26 poetas hoje, organizada por Heloísa Buarque de Hollanda, que reuniu os trabalhos da chamada ‘geração marginal’, poetas que resistiam à ditadura militar. Daí em diante publicou mais 12 livros de poesia, sendo os três últimos Cantar de labirinto, em 2022 (poema de fôlego épico em 16 Cantos), Eixo de abismo (Poesia reunida) em 2023 e Nervos de mar, em 2024. Em 2009 saiu o livro de traduções Fogo alto (poemas de Catulo, Villon, Blake, Rimbaud, Huidobro, Lorca e Ginsberg). Em 2014 editou o livro de contos Relatos nas ruas de fúria. Em 2017 publicou a antologia Busca da gema nos destroços em Lisboa, Portugal. Em 2019, editou o romance Os odiados do sol. Em 2020 publicou Antologia poética, com traduções de poemas de Arthur Rimbaud e em 2021 o livro A tulipa azul do sonho (Constança, a musa de Alphonsus de Guimaraens). Em 2023 organizou o volume Correntezas em tinta e versos (Quatro séculos de poesia na família Guimaraens). É professor aposentado do Instituto de Artes e Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense e membro da Academia Mineira de Letras.

Facebook IEL Instagram IEL Youtube IEL